Coronavírus: o que você precisa saber?

O coronavírus é uma grande família viral, conhecido desde meados dos anos 1960, que causa infecções respiratórias nos seres humanos. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, mas em alguns casos, podem causar síndromes respiratórias graves.

O novo coronavírus – nCoV-2019, foi descoberto no fim de dezembro de 2019, na China e vem se espalhando pelo mundo. Conforme a Organização Mundial de Saúde – OMS, já são 14,5 mil casos registrados em 18 países, com 305 mortes, o que vem mobilizando a busca por respostas sobre prevenção, transmissão e tratamento desse novo tipo de coronavírus. Até o momento, no Brasil, são 11 casos suspeitos, mas nenhum confirmado.

Quais são os sintomas?

Os sintomas são semelhantes aos da gripe e cerca de 20% progride para doenças mais graves, como pneumonia e insuficiência respiratória. “Os principais sintomas do coronavírus são coriza, tosse, dor de garganta e febre”, afirma o infectologista, Dr. Romes Rufino.

Como acontece a transmissão?

De acordo com o Ministério da Saúde, a transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como: gotículas de saliva, espirro, tosse, secreções, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

“De uma forma geral, a transmissão viral ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas. É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecida. A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminas”, explica Dr. Romes.

O coronavírus tem tratamento?

Não existe tratamento específico para o coronavírus. É feita a contenção dos sintomas com repouso, ingestão de líquidos e utilização de medicamentos como analgésicos e antitérmicos.

Como prevenir o coronavírus?

De acordo com o infectologista é necessário reforçar os cuidados com nossa higiene, como:

·         Sempre lavar as mãos corretamente;

·         Cobrir a boca quando for espirrar ou tossir;

·         Ao sair de casa, evite tocar os olhos, nariz e boca.

·         Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;

·         Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos e garrafas.

Lavar as mãos deve fazer parte da rotina de todos

A lavagem das mãos é um detalhe que faz toda a diferença, não apenas na prevenção do coronavírus, mas na prevenção da disseminação de outros vírus, bactérias e fungos.

Por isso, a enfermeira do CCIH, Alana Araújo recomenda que a lavagem das mãos faça parte da rotina de todos nós, especialmente:

·         Antes de comer ou manusear alimentos;

·         Após ter utilizado as instalações sanitárias;

·         Após assoar o nariz, tossir ou espirrar;

·         Antes de efetuar qualquer ação que inclua o contato com mucosas corporais (por exemplo, colocar ou retirar lentes de contato);

·         Após tocar animais ou seus dejetos;

·         Após manusear resíduos (por exemplo, lixo doméstico);

Após usar transportes públicos;

Antes e após tocar doentes ou feridas (cortes, arranhões, queimaduras, etc.);

·         Antes e após uma visita a um doente internado (hospital ou outra instituição).

Deixe uma resposta